88% dos consumidores brasileiros estão dispostos a compartilhar dados em troca de ofertas exclusivas

Em pesquisa com 946 consumidores brasileiros recém-conduzida pela dunnhumby, líder global em ciência do consumidor, 88% dos entrevistados afirmaram estar dispostos a compartilhar seus dados pessoais e de consumo com empresas para receber descontos e ofertas exclusivas e 77% fariam o mesmo em troca de pontos em programas de fidelidade.

Os resultados demonstram que, nos últimos três anos, houve um aumento significativo no número de brasileiros dispostos a compartilhar seus dados com empresas mediante benefícios como descontos, ofertas e personalização do serviço. Em pesquisa com 3.900 consumidores brasileiros realizada em 2013 pela Coleman Parkes, apenas 39% declararam ter interesse em disponibilizar dados em troca de ofertas exclusivas e 38% compartilhariam dados para receber recompensas em programas de fidelidade.

A dunnhumby também descobriu que há certa uniformidade no comportamento das gerações Z, Y, X e Baby Boomer nesta área (vide tabela ao final do texto). Isso demonstra que estratégias que envolvem a coleta e o uso de dados do consumidor para a criação de ofertas personalizadas e programas de fidelidade não devem se restringir a faixas etárias, já que pessoas de todas as idades estão dispostas a participar. É preciso, no entanto, adequar as ações às peculiaridades de cada grupo.

Qualidade da personalização

No cenário mundial, conforme descrito pela Aimia em seu Global Loyalty Lens Report, em 2015, 80% dos 20.000 consumidores entrevistados afirmam ter interesse em ceder seus dados em troca de benefícios, mas apenas 8% sentem que as empresas providenciaram um bom retorno e somente 23% afirmaram terem recebido mensagens relevantes das empresas.

Esses dados merecem toda a atenção das empresas que querem se destacar por meio de suas estratégias de CRM, pois os consumidores estão interessados, mas seus dados devem ser utilizados da melhor maneira possível; é preciso oferecer ofertas verdadeiramente relevantes e descontos efetivos. Não basta coletar informações, é necessário processá-las e analisá-las com atenção.

O consumidor não se interessa só por recompensas financeiras: segundo a pesquisa da dunnhumby, 69% também cederiam seus dados para receber informações e novidades sobre os produtos e serviços de que o cliente gosta e 65% se interessam por sugestões de produtos baseadas em seu gosto pessoal. É importante lembrar que não adianta enviar qualquer tipo de conteúdo. Essas ações deve ser muito bem planejadas e totalmente alinhadas às preferências do cliente, caso contrário gera-se mais ruído do que benefícios.

O consumidor contemporâneo é consciente, sabe o valor de seus dados para as empresas e por isso espera um retorno à altura. De acordo com a pesquisa, 65% dos consumidores acreditam que as empresas estão buscando conhecer cada vez melhor seus consumidores.  Ofertas e comunicação personalizadas destacam-se nesse cenário.

Programas de fidelidade na crise

O segundo fator que mais motiva os brasileiros a compartilharem seus dados, logo atrás dos descontos e ofertas exclusivas, é a obtenção de pontos em programas de fidelidade, que interessa a 77% dos consumidores entrevistados.

Atualmente, segundo a dunnhumby, 41% dos clientes de programas de fidelidade do varejo no Brasil disseram que comprariam em outro local caso o programa da rede onde consomem fosse encerrado – o que demonstra a relevância dessas iniciativas para o brasileiro. No Reino Unido este número é de apenas 21%.

Durante a crise, os programas de fidelidade podem fazer a diferença, já que, em meio à diminuição de consumo e às medidas de contenção tomadas pelo consumidor, o setor cresceu – segundo a ABEMF (Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização), em 2015 houve aumento de 22% do número de cadastros em programas de fidelidade nos últimos 12 meses.

A dunnhumby estima que 30% dos lares do Brasil participam de programas de fidelidade, enquanto em mercados maduros como o Reino Unido e os Estados Unidos, as taxas chegam a 90% de penetração dos lares.

Abaixo estão os principais achados da dunnhumby sobre o tema:

  • As gerações apresentam níveis semelhantes de disposição a compartilhar dados, mas cada uma delas tem suas peculiaridades, como se vê na tabela abaixo:

Porcentagens de consumidores dispostos a compartilhar dados mediante diferentes tipos de vantagem:

ecommerce_01

  • Atualmente, 88% dos consumidores brasileiros estão dispostos a compartilhar seus dados com empresas para receber descontos e ofertas exclusivas (aumento de 49% com relação a 2013);
  • 77% também estão dispostos a compartilhar seus dados com empresas em troca de pontos em programas de fidelidade (aumento de 39% com relação a 2013);
  • 69% cederiam seus dados para receber informações e novidades sobre os produtos e serviços de que o cliente gosta;
  • 65% se interessam por sugestões de produtos baseadas em seu gosto pessoal;
  • 41% dos clientes de programas de fidelidade do varejo no Brasil comprariam em outro local caso o programa da rede onde consomem fosse encerrado. No Reino Unido este número é de apenas 21%.
  • Somente 30% dos lares brasileiros participam de programas de fidelidade. Em mercados maduros como os Estados Unidos e o Reino Unido, as taxas chegam a 90% de penetração.

Fonte: Ecommerce Brasil

Veja os números do eCommerce Brasileiro

Pelo número de clientes que tem procurado a PlanoCOM para iniciar um e-commerce, resolvi criar este post com algumas informações importantes sobre o e-commerce no Brasil.

Dependendo dos produtos podemos até implementar conversões de moedas para vender a outros países. Essa dificuldade não é significativa para o empreendedor se o produto for competitivo no mercado global.
Seguem abaixo mais algumas informações que irão aumentar, não só a segurança, mas o entusiasmo para seu investimento em uma loja virtual:

  • Realizaram pelo menos uma compra online em 2014: 51,5 milhões de internautas;
  • Fizeram compras online pela primeira vez em 2014: 10,2 milhões de internautas;
  • Quem compra mais? Classes A e B (62%). Classes C e D (27%);
  • Qual sexo compra mais? Mulheres (57%)
  • Qual faixa etária compra mais? 35 a 49 anos
  • Quais as 3 categorias que mais vendem?
    > Moda e Acessórios (33%)
    > Casa e Decoração (19%)
    > Informática (12%)
  • Faturamento acumulado do Natal 2014: R$ 35,8 milhões (ticket médio de 451,00)
  • Evolução de vendas mobile:
    Jan/13 > 4,8%
    Jan/14 > 7%
    jan/15 > 9,7%
  • Cinco Principais destinos das vendas de e-commerce no Brasil:
    SP – 86%
    RJ – 71%
    MG – 64%
    PR – 38%
    RS – 34%
  • Qual região cresceu e qual diminuiu para a sede dos e-commerces:
    Nordeste – cresceu de 8,4% para 10%
    Sudeste – caiu de 63,3% para 58%
  • Principais canais de atendimento no e-commerce:
    1º. Email
    2º. Redes Sociais
    3º. Telefone
    4º. Chat
    5º. Whatsapp
    6º. Blog
    ecommerce
  • Principais motivos da Logística Reversa:
    1º. Troca de Produto por Tamanho e Cor (32%)
    2º. Defeito do Produto (25%)
    3º. Arrependimento (25%)
    4º. Produto Danificado (23%)
    5º. Pedido Incorreto (21%)
    6º. Outros (20%)
  • Taxa de conversão: Diminuiu para 1,5% em 2015 (2014 era 1,7%).
  • Taxa de abandono de carrinho: caiu para 38% em 2015 (2014 era de 38%)

Estas estatísticas são referentes a uma pesquisa realizada pelo SEBRAE em julho de 2015 em parceria com o e-Commerce Brasil.

Mas está claro que o Brasileiro está convertendo cada dia mais para as compras online.

As lojas que ainda não começaram a pensar em e-commerce já estão atrasadas. Inclusive uma estatística que me assustou muito foi quando a GoDaddy, neste ano de 2015, verificou que 59% das microempresas não possuem nem página na web.

Dê o primeiro passo para fazer seu negócio dar lucro na internet. Preencha o formulário abaixo que eu entro em contato com você.

Estimativa do e-commerce para 2015? ….. R$ 43 milhões =)

e-commerce fecha estimativa para fechar 2015 com R$ 43 milhões em vendas. Quase 17% a mais que 2014.

ecommerceCom a maior taxa de crescimento do e-commerce no mundo, O Brasil está diante de uma estimativa de fechamento em R$ 43 milhões para 2015.

O interessante desta pesquisa realizada pelo e-bit é que as principais responsáveis por este número não são as grandes lojas virtuais. E sim as pequenas e médias.

Observando o cenário chegamos a uma conclusão democrática em empreender na internet, onde o potencial e espaço deste mercado está em franca expansão.

Veja o gráfico abaixo:ecommerce

Quer criar o seu e-commerce? Converse com a PlanoCOM!
Preencha o formulário abaixo que entraremos em contato:

A sua marca está em uma rede de 1 Bilhão de pessoas?

Você gostaria de inserir sua marca, produto ou serviço, em um local onde 1 bilhão de pessoas poderia ter contato?

face1biVocê gostaria de inserir sua marca, produto ou serviço, em um local onde 1 bilhão de pessoas poderia ter contato?

Pois é! O Facebook atingiu 1 bilhão de usuários conectados em um dia na última segunda-feira, 24/Agosto.

Ou seja, uma em cada sete pessoas no planeta acessou o Facebook para se conectar com alguém em um período de 24 horas. Isso é fantástico!

No mês de Julho o Facebook já havia revelado que tinham atingido a marca de 1,49 bilhões de usuários ativos mensalmente. O que representa um crescimento de 13% comparando com 2014.

Quando você erra na crise?

Normalmente a consultoria e assessoria de marketing e publicidade, juntamente com a propaganda, são uma das primeiras escolhas de corte por gestores em período de contenção. E este é um erro crítico de estratégia.

Normalmente a consultoria e assessoria de marketing e publicidade, juntamente com a propaganda, são uma das primeiras escolhas de corte por gestores em período de contenção. E este é um erro crítico de estratégia.

Usando o raciocínio lógico, este tipo de decisão, é o que faz seu concorrente tomar a dianteira ou se distanciar de você no mercado.

Enquanto você some do campo de escolha dos seus clientes, seus concorrentes têm a oportunidade de abordá-los de forma mais tranquila e eficiente. Isso porque neste cenário ele tem tempo para convencer seu cliente por ter menos concorrentes brigando por ele. E é neste momento que ele, geralmente, fideliza.

Para as empresas que fazem da crise uma oportunidade de conquistar mais resultados se tornam bem mais fortes e sólidas após esse período de desafio. O alerta fica na hora de contratar uma agência ou consultor, porque são nestes momentos que “os vendedores de fumaça” aparecem. E são estes oportunistas que fazem da publicidade, e do marketing, ser intangíveis.

> 10 Dicas para contratar uma agência de publicidade

Ontem li um texto muito bom sobre esse tema escrito pelo Haendel Dantas que é o criador do Portal Comunicadores. Vale a leitura. Segue o link: http://t4r.la/W50P6T

=)

planocom

Produtividade com o Chrome

Dicas para retomar a produtividade do Google Chrome se ele estiver lento.

Nesta semana quatro clientes me questionaram do mesmo problema com o Chrome: lentidão na digitação.

Realmente está havendo um “bug” no backgorung do navegador provocando um retardamento na digitação. Isso, geralmente, depende das extensões que são instaladas e de possíveis malwares que parasitam quando você visita sites que tem códigos maliciosos.

A pedido de um cliente, e também pela frequência de questionamentos, resolvi fazer um tutorial para colaborar.

Coloquei o texto abaixo também no site da T4R

No caso de somente o Chrome ficar com a digitação lenta, geralmente, os problemas são com as extensões.

Sugerimos, neste caso, o seguinte procedimento:

1º Passo – Executar a Ferramenta de Remoção de Software Mal-Intencionado

Baixe o software no link https://www.google.com/chrome/srt/
Após baixá-lo, execute seguindo o passo a passo. Havendo dúvida ou receio nessa execução este tutorial também pode ajudar => https://goo.gl/GIhsgW

Feche o Chrome e abra-o novamente.

Se a lentidão continuar ai será necessário realizar uma configuração na área avançada do Chrome. Daí será necessário ir para o 2º passo.

2º Passo – Executar configurações avançadas no Chrome

O Google Chrome cria um processo diferente para cada plugin, extensão, aplicação, guia, janela e perfil ativo. Estes processos abertos podem ser vistos no Gerenciador de Tarefas do Chrome, ao qual podem ser acessados através do menu do Chrome Chrome menu > Ferramentas > Gerenciador de tarefas.

Quando mais processos abertos tiverem, mais lento ficará o seu Chrome e o seu PC já que a utilização do CPU será maior. Desta forma, se com o 1º Passo seu Chrome ainda continua lento, siga as seguintes ações abaixo:

1) Limpe o cache e os cookies do Chrome;

2) Não mantenham várias abas, janelas ou perfis do Chrome abertos ao mesmo tempo;

3) Veja as extensões e aplicativos de fundo ativos no seu Chrome e desabilite os que não são necessários. Para visualizar suas extensões sem acessar o menu é só digitar no campo de endereço Chrome://extensions

4) Se tiver instalado plugins que não utiliza mais. Digite no campo de endereço Chrome://plugins que você visualizará seus plugins ativos sem precisar de acessar o menu.

Cuidado com os plugins que desativa já que desabilitar os mesmos pode resultar na impossibilidade de funcionamento correto de alguns programas ou funcionalidades (exemplo, visualização de vídeos).

Mantenha ativos somente os plugins:

Widevine Content Decryption Module
Chrome PDF Viewer
Native Client
Adobe Flash Player

5) Acesse o menu do Chrome > Configurações > Mostrar configurações avançadas > Sistema e desmarque a opção “Usar aceleração de hardware quando disponível”;

6) Faça o update dos drivers sua placa de vídeo já que uma versão desatualizada pode provocar lentidão no Chrome;
Muitos usuários utilizaram software como o SlimDrivers para atualizar os drivers automaticamente;

7) Utilize o tema padrão do Chrome: > Configurações > Aparência > clique em Redefinir para o tema padrão;

8) Certifique-se que têm o Google Chrome atualizado. Pode ver se há novas atualizações no menu chrome://chrome

Com estes passos consegui recuperar a produtividade do Chrome das pessoas que tiveram contato conosco.

No caso do problema ainda persistir com você, envie um email para nossa empresa de tecnologia que lhe auxiliaremos: suporte@t4r.com.br

=)

T4R desenvolve Guia Mobile para Cannes

T4R desenvolve Guia Mobile para os amantes acompanhar tudo que acontece no Festival de Cannes.

A pedido do Portal da Propaganda desenvolvemos um Guia Mobile para os amantes acompanhar tudo que acontece no Festival de Cannes este ano.

Você pode acessar o guia através do link http://guiaaboutcannes.com.br/cannes/

T4R Cannes