Veja os números do eCommerce Brasileiro

Pelo número de clientes que tem procurado a PlanoCOM para iniciar um e-commerce, resolvi criar este post com algumas informações importantes sobre o e-commerce no Brasil.

Dependendo dos produtos podemos até implementar conversões de moedas para vender a outros países. Essa dificuldade não é significativa para o empreendedor se o produto for competitivo no mercado global.
Seguem abaixo mais algumas informações que irão aumentar, não só a segurança, mas o entusiasmo para seu investimento em uma loja virtual:

  • Realizaram pelo menos uma compra online em 2014: 51,5 milhões de internautas;
  • Fizeram compras online pela primeira vez em 2014: 10,2 milhões de internautas;
  • Quem compra mais? Classes A e B (62%). Classes C e D (27%);
  • Qual sexo compra mais? Mulheres (57%)
  • Qual faixa etária compra mais? 35 a 49 anos
  • Quais as 3 categorias que mais vendem?
    > Moda e Acessórios (33%)
    > Casa e Decoração (19%)
    > Informática (12%)
  • Faturamento acumulado do Natal 2014: R$ 35,8 milhões (ticket médio de 451,00)
  • Evolução de vendas mobile:
    Jan/13 > 4,8%
    Jan/14 > 7%
    jan/15 > 9,7%
  • Cinco Principais destinos das vendas de e-commerce no Brasil:
    SP – 86%
    RJ – 71%
    MG – 64%
    PR – 38%
    RS – 34%
  • Qual região cresceu e qual diminuiu para a sede dos e-commerces:
    Nordeste – cresceu de 8,4% para 10%
    Sudeste – caiu de 63,3% para 58%
  • Principais canais de atendimento no e-commerce:
    1º. Email
    2º. Redes Sociais
    3º. Telefone
    4º. Chat
    5º. Whatsapp
    6º. Blog
    ecommerce
  • Principais motivos da Logística Reversa:
    1º. Troca de Produto por Tamanho e Cor (32%)
    2º. Defeito do Produto (25%)
    3º. Arrependimento (25%)
    4º. Produto Danificado (23%)
    5º. Pedido Incorreto (21%)
    6º. Outros (20%)
  • Taxa de conversão: Diminuiu para 1,5% em 2015 (2014 era 1,7%).
  • Taxa de abandono de carrinho: caiu para 38% em 2015 (2014 era de 38%)

Estas estatísticas são referentes a uma pesquisa realizada pelo SEBRAE em julho de 2015 em parceria com o e-Commerce Brasil.

Mas está claro que o Brasileiro está convertendo cada dia mais para as compras online.

As lojas que ainda não começaram a pensar em e-commerce já estão atrasadas. Inclusive uma estatística que me assustou muito foi quando a GoDaddy, neste ano de 2015, verificou que 59% das microempresas não possuem nem página na web.

Dê o primeiro passo para fazer seu negócio dar lucro na internet. Preencha o formulário abaixo que eu entro em contato com você.

59% das microempresas não possuem uma página na web

Fiquei muito impressionado com a pesquisa realizada pela GoDaddy para conhecer como os microempresários estavam usando a internet como apoio.

Foi revelado que 59% dos participantes disseram que não possuem seu próprio site.

“Enquanto temos certeza de que todos estão online, a realidade é que para muitos pequenos negócios isso simplesmente não é verdade”, comentou Blake Irving (TBD), CEO da GoDaddy. “O que fica claro é que esses micro negócios estão percebendo que se eles não se engajarem online por completo, eles estarão em desvantagem competitiva”.

A pesquisa teve um público de 4.000 micro empresários, onde as empresas tinham 5 funcionários ou menos. São exatamente estes empresários que precisam de ferramenta de baixo custo, como a internet, para aumentar a capilaridade de seus negócios. A estatística por ser global compõe a amostragem nos países Austrália, Brasil, Canadá, Índia, México, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

Outra revelação de miopia destes microempresários é que 35% dos deles disseram que acreditam que suas empresas são pequenas demais para ter uma página na web. Mas, ao mesmo tempo, muitos microempresários afirmaram que entendem que estão em desvantagem competitiva por não ter seu próprio site.

E-commerce_box6

Abaixo as principais estatísticas da pesquisa:

  • 55% afirmou que tem a intenção de criar seu próprio site nos próximos dois anos;
  • 48% acredita que seus negócios crescerão 25% ou mais nos próximos 3 a 5 anos;
  • 81% afirmou que espera crescimento de 10% ou mais. Não são expectativas irreais – dos que já possuem website, 59% afirmou que seu negócio cresceu uma vez que construíram seu site;
  • 48% disse que tem a intenção de vender seus produtos em seus sites (e-commerce), dentro de um ano de lançamento da página;
  • 52% afirma que a criação de um site irá expandir sua base de clientes localmente, enquanto um em dez acredita que irá expandir a base de clientes nacional e internacionalmente;
  • 84% acredita que é importante que seus novos sites sejam compatíveis para o formato mobile.

Enfim, 59% de microempresários que precisam de ferramentas e estão mal assessorados.

Importante escolher uma empresa séria para te apoiar no crescimento de suas metas.

Leia: 10 Dicas para contratar uma Agência Digital