23 estatísticas que fazem você acreditar no Email Marketing

23 estatísticas que vi em uma pesquisa envolvendo o Hubspot, Exact Target, Convince and Convert, Cultura Colaborativa/SocialBase, McKinsey, Email Stat Center e Radicati.

Abaixo estão 23 estatísticas que vi em uma pesquisa envolvendo o Hubspot, Exact Target, Convince and Convert, Cultura Colaborativa/SocialBase, McKinsey, Email Stat Center e Radicati. São eles:

1. 80,8% dos usuários que participaram de uma pesquisa do Hubspot leem e-mails em dispositivos móveis;
2. 12% das pessoas entrevistadas têm caixas de entrada separadas para trabalho e assuntos pessoais;
3. 50% dos entrevistados afirmam ler a maioria dos seus e-mails;
4. A palavra que mais faz os destinatários abrir as mensagens é “secreto”;
5. A taxa de abertura dos e-mails aumenta quando o nome do destinatário aparece no título do e-mail;
6. 65% dos entrevistados preferem peças ricas em imagens;
7. O horário em que os e-mails têm mais chances de ser abertos é às 6 da manhã;
8. A pesquisa do Hubspot revelou que “clique aqui” é mais efetivo do que termos como “vá” e “inscreva-se”;
9. As pessoas que se inscreveram mais recentemente em sua base de contatos têm mais chances de abrir as mensagens;
10. Sábado é o dia em que mais se abre e-mails;
11. 68% dos marqueteiros acreditam que o e-mail é extremamente importante para os negócios;
12. 47% dos profissionais da área acham que a ferramenta aumenta as vendas;
13. 98% dos marqueteiros planejavam aumentar o investimento em e-mail marketing em 2014;
14. Apenas 3% dos profissionais de marketing não usam e não têm planos de incluir os e-mails em suas estratégias;
15. 42% acreditam que a prática de e-mail marketing impacta indiretamente nas vendas;
16. O e-mail marketing tende a aumentar em 138% as vendas;
17. 44% dos americanos fizeram pelo menos uma compra depois de receber um e-mail promocional;
18. 52% dos brasileiros passam, pelo menos uma hora do dia, lendo e-mails;
19. 58% deles acessam a caixa de entrada assim que recebem uma nova notificação;
20. E-mails são 40 vezes mais eficientes para adquirir novos clientes do que o Facebook e o Twitter juntos;
21. O e-mail converte três vezes mais do que as redes sociais;
22. Nos Estados Unidos, os consumidores  interagem por e-mail com cerca de 11 marcas por dia;
23. Até o fim de 2017, existirão 4,8 bilhões de contas de e-mail no mundo.

=)

emailmkt_04

59% das microempresas não possuem uma página na web

Fiquei muito impressionado com a pesquisa realizada pela GoDaddy para conhecer como os microempresários estavam usando a internet como apoio.

Foi revelado que 59% dos participantes disseram que não possuem seu próprio site.

“Enquanto temos certeza de que todos estão online, a realidade é que para muitos pequenos negócios isso simplesmente não é verdade”, comentou Blake Irving (TBD), CEO da GoDaddy. “O que fica claro é que esses micro negócios estão percebendo que se eles não se engajarem online por completo, eles estarão em desvantagem competitiva”.

A pesquisa teve um público de 4.000 micro empresários, onde as empresas tinham 5 funcionários ou menos. São exatamente estes empresários que precisam de ferramenta de baixo custo, como a internet, para aumentar a capilaridade de seus negócios. A estatística por ser global compõe a amostragem nos países Austrália, Brasil, Canadá, Índia, México, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

Outra revelação de miopia destes microempresários é que 35% dos deles disseram que acreditam que suas empresas são pequenas demais para ter uma página na web. Mas, ao mesmo tempo, muitos microempresários afirmaram que entendem que estão em desvantagem competitiva por não ter seu próprio site.

E-commerce_box6

Abaixo as principais estatísticas da pesquisa:

  • 55% afirmou que tem a intenção de criar seu próprio site nos próximos dois anos;
  • 48% acredita que seus negócios crescerão 25% ou mais nos próximos 3 a 5 anos;
  • 81% afirmou que espera crescimento de 10% ou mais. Não são expectativas irreais – dos que já possuem website, 59% afirmou que seu negócio cresceu uma vez que construíram seu site;
  • 48% disse que tem a intenção de vender seus produtos em seus sites (e-commerce), dentro de um ano de lançamento da página;
  • 52% afirma que a criação de um site irá expandir sua base de clientes localmente, enquanto um em dez acredita que irá expandir a base de clientes nacional e internacionalmente;
  • 84% acredita que é importante que seus novos sites sejam compatíveis para o formato mobile.

Enfim, 59% de microempresários que precisam de ferramentas e estão mal assessorados.

Importante escolher uma empresa séria para te apoiar no crescimento de suas metas.

Leia: 10 Dicas para contratar uma Agência Digital

Estimativa do e-commerce para 2015? ….. R$ 43 milhões =)

e-commerce fecha estimativa para fechar 2015 com R$ 43 milhões em vendas. Quase 17% a mais que 2014.

ecommerceCom a maior taxa de crescimento do e-commerce no mundo, O Brasil está diante de uma estimativa de fechamento em R$ 43 milhões para 2015.

O interessante desta pesquisa realizada pelo e-bit é que as principais responsáveis por este número não são as grandes lojas virtuais. E sim as pequenas e médias.

Observando o cenário chegamos a uma conclusão democrática em empreender na internet, onde o potencial e espaço deste mercado está em franca expansão.

Veja o gráfico abaixo:ecommerce

Quer criar o seu e-commerce? Converse com a PlanoCOM!
Preencha o formulário abaixo que entraremos em contato:

A sua marca está em uma rede de 1 Bilhão de pessoas?

Você gostaria de inserir sua marca, produto ou serviço, em um local onde 1 bilhão de pessoas poderia ter contato?

face1biVocê gostaria de inserir sua marca, produto ou serviço, em um local onde 1 bilhão de pessoas poderia ter contato?

Pois é! O Facebook atingiu 1 bilhão de usuários conectados em um dia na última segunda-feira, 24/Agosto.

Ou seja, uma em cada sete pessoas no planeta acessou o Facebook para se conectar com alguém em um período de 24 horas. Isso é fantástico!

No mês de Julho o Facebook já havia revelado que tinham atingido a marca de 1,49 bilhões de usuários ativos mensalmente. O que representa um crescimento de 13% comparando com 2014.